Tudo Lindo & Misturado, sem gênero e com diversidade!

Vocês já devem ter percebido que a C&A é uma das minhas marcas prediletas, sempre de olho nas tendências e consciente de seus processos de produção. Agora, a fast-fashion ganhou meu coração de vez. Desde o início de março a marca se reposicionou no mercado e mudou toda a linha de marketing e, por tanto, sua imagem e visão.

cea-TudoMisturado-1A campanha “Tudo Lindo & Misturado” trouxe uma nova ideia de moda pra a maior fast-fashion do país. Primeiro foram divulgadas as imagens que já trazem uma direção de arte bem diferente do que estamos acostumados a ver quando se trata de grandes varejistas. O primor pela estética chama logo atenção, mas, o mais interessante é ver a marca assumir a diversidade em seus cliques, com modelos que compõem um casting com representatividade e muita atitude.

cea-TudoMisturado-2

Essa representatividade também é vista no filme “Misture, Ouse e Divirta-se“, que vai além no conceito e mostra o que pode ser o inicio de uma mudança histórica pra o mercado de fast-fashion: a ideia de moda sem gênero. Discretamente, a C&A propõe esse conceito ao mostrar a primeira modelo já usando uma cueca e, ao longo do curta, um modelo de vestido, e eles seguem correndo atrás de suas roupas sem se importar com os padrões de gênero preestabelecidos.

cea-TudoMisturado-3

É discreto, mas é um começo muito louvável, principalmente pelo modo como é abordado na campanha, com tanta naturalidade que não precisa sequer ser o centro das atenções, pois é simplesmente algo que acontece na vida. Outro ponto maravilhoso do filme é a leveza e a naturalidade da nudez, reforçando o conceito de que não importa qual peça se veste (ou não se veste, hehehe).

cea-TudoMisturado-4

O que mais me encantou nesse reposicionamento, além da diversidade, é justamente essa naturalidade que está impressa em cada detalhe da campanha. Como se a AlmapBBDO (agência de publicidade) tivesse capturado o espírito dessa geração que percebe que não há sentido na distinção de gênero e que clama por representatividade.