Paris X Nova York

 

Embora tenham estilos bem diferentes as duas cidades sempre são comparadas, isso foi um dos motivos para o ilustrador Vahram Muratyan criar o blog Paris X New York  (que é uma delicia), outro motivo, o ilustrador viveu nas 2 cidades. O blog com ilustrações de símbolos (turísticos, arquitetônicos, cinematográficos, gastronômicos, de estilos de vida, esportes e até bebidas, sem falar em moda) das duas cidades comparadas lado a lado fez sucesso e virou exposição e livro com mais de 200 ilustrações “Paris Versus New York: A Tally Of Two Cities”. 

As ilustrações são minimalistas, usando pregnância da forma e clichês para mostrar os símbolos de uma forma bem simples, colorida e fofa! Pra quem já conhece as cidades é uma ótima lembrança, e pra quem não conhece é um estimulo pra viajar o mais rápido possível para as cidades, que por suas diferenças acabam se complementando. Quem não ama as delicias da luxuosa Paris e as peculiaridades da cosmopolita Nova York?
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Drops: As editoras das Vogues Paris e America. 

E você, consegue escolher entre Paris ou NY?



Qual a sua estampa étnica?

Como sabemos a estampa étnica anda em alta, principalmente a Navajo. Dando uma olhada nessas estampas percebi quantas diferentes existem, sendo por se referirem a indumentária de um povo, a sua cultura, país, simbolo ou seu way of life.

Estampa Navajo:
A queridinha do momento é inspirada na indumentária dos índios norte-americanos da tribo Navajo. Com uma estampa em zigue-zague e bem colorida também explora franjas, penas, couro, ponchos. Às vezes a padronagem é chamada de Asteca.

Estampa americana:
Muito patriotas, os americanos adoram ostentar sua bandeira em estampas de blusas e em detalhes, e principalmente usam as cores e estrelinhas da bandeira. Muito espertos, fizeram tudo de uma maneira muito fashion, que faz com que todos queiram sair por aí com a blusa “I Love NY”.

 

Estampa Inglesa (Reino Unido):
Não é muito diferente do que acontece no caso americano, a bandeira e cores do Reino Unido estão estampadas em todas as peças.

 

Estampa Oriental:
Brinca com a foça e a delicadeza ao misturar tons fortes, ou clarinhos em tecidos leves. A padronagem frequentemente explora a escrita oriental ou as flores miúdas remetendo a flor de cerejeira, simbolo do Japão.

Estampa Africana:
Um povo riquíssimo culturalmente, com várias tribos diferentes é uma das maiores fontes de inspiração de designers e estilistas. Sabem misturar cores, materiais e formas de um jeito magnifico e único e isso se reflete na criação dos profissionais de moda. 

Estampa escocesa:
O tão conhecido xadrez tem origem escocesa, o tipo tartan era usado para identificar os clãs na Escócia. Com a visita do Rei George IV em 1822 a Edimburgo e o incentivo da Rainha Victoria a estampa começou a ser popularizada.

Estampa indiana:
A estampa hoje conhecida com nome em inglês, Paisley, tem origem na Índia, no século XVII, na região da Caxemira, nome dado a estampa nos anos 70, quando bombou. Mais uma vez, foi a Inglaterra quem popularizou a estampa reproduzindo a padronagem numa cidade chamada Paisley…

 

Estampa brasileira:
Estampa brasileira ou tropical já tem sido vista há um certo tempo nas passarelas e pouco nas ruas. Padronagens inspiradas em nossa fauna e flora, mostrando aves, palmeiras, praias e tudo de lindo que remete ao país. 



Mais Glamour no Brasil

Como já havia falado aqui, em março a Criativa deu adeus as leitoras para dar lugar a versão brasileira da revista Glamour. A publicação que estava fazendo o maior mistério sobre a primeira capa chegou as bancas para descobrirmos que a garota escolhida foi Juliana Paes, o que não surpreendeu tanto, todos esperavam alguma celebridade carismática já que essa é a marca da revista desde que foi fundada nos E.U.A. com o nome de Glamour Hollywood. O que me chamou mesmo a atenção foi a capa de despedida da Criativa, com Ísis Valverde, como sempre estava bem feita e mais primada, principalmente em termos gráficos, do que o recheio.

Embora seja colecionadora da Gloss, a concorrente direta da Glamour direcionada para o público entre 20 e 35 anos, não pude deixar de passar na Saraiva (só lá que encontro a Gloss minimamente bem conservada, sem ranhuras do lado, porque é impressionante como é difícil encontrar uma revista que não tenha um rasguinho na lateral #DesabafoDeColecionadora/Leitora, tem que ver isso aí, hein…) e levar as edições históricas de final e incio de publicações. Confesso que ainda não tive tempo de ler, só dei uma olhada rápida e parece estar bem interessante, mas ainda prefiro o layout e os editoriais de moda e beleza da Gloss…

Glamour, seja muito bem vinda, traga mais Glam aos nossos dias e nos contemple com muita moda em suas páginas, que é sempre bom, hahaha.

UPDATE: Olha quem é a garota da capa da Gloss de abril, Ísis Valverde, capa da última Criativa… Duas propostas bem diferentes, qual a melhor?